o que der na Telha

Perfil



Meu perfil

BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, Mulher, de 36 a 45 anos, Cinema e vídeo, Livros, Música


Categorias

Votação

Dê uma nota para meu blog

Outros Sites

XML/RSS Feed
O que é isto?

Leia este blog no seu celular

Visitante Número




Histórico

+ veja mais
"Algumas pessoas são educadas o bastante para não falarem com a boca cheia, porém, não se importam em fazê-lo com a cabeça vazia" Orson Wells

ECOLOGIA

31/07/2011

 
 

NOSSA MÃE NATUREZA

Como já comentei em outras ocasiões, moro em um lugar privilegiado  nesta cidade muuuuuuito grande. Bem perto da minha casa, está o Horto Florestal de São Paulo, mais ou menos, uns quinze minutos a pé, mas, como era de se imaginar, fazia muito tempo que eu não ia até lá. Fazia, porque semana passada, eu e minha filha fomos fazer caminhada lá. Só a ida e a volta já é uma tremenda caminhada, mas a vista e o ar que respiramos, compensa tudo. Desta vez, eu me lembrei de tirar umas fotos e resolvi colocar aqui pra vocês compartilharem comigo, infelizmente não cheguei a tempo de presenciar a florada das cerejeiras, um espetáculo especial da natureza. As melhores eu deixei por último com uma surpresinha, espero que estejam boas e que vocês gostem.

 

Esta é a casa de verão  do Governador de São Paulo onde esteve hospedado  o Presidente Fidel Castro.

Museu do Horto onde há muitas variedades de plantas.

As pessoas podem se exercitar nestes aparelhos enquanto as crianças se divertem no parquinho.

Vejam no vídeo que preparei as outras fotos do passeio.

 


Escrito por marizete assis às 20h54
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

26/03/2010

 
 

SEM NOÇÃO

 

Vejam só, mesmo com todas as informções na mídia, nas ONGs, e até mesmo nas escolas desde a educação infantil até os níveis superiores em todo o mundo , para a conscientização da necessidade de economia de água, uma pequena cidade do interior de São Paulo, na região de Bauru, chamada Castelandia, passa ao largo de tudo isso. Lá, pasmem, não existe hidrômetro nas casas e a população, sem noção, gasta o quanto quer, porque, afinal, a conta que chega em suas casas, não vai além do que uma taxa  que varia de R$15 à no máximo R$20 reais. O resultado disso, é que Castelândia é, provavelmente, a cidade com as calçadas mais limpinhas do país. Cadê as autoridades???

 

 


Escrito por marizete assis às 21h00
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

01/10/2009

 
 

FIQUE LIGADO

 

Este post foi tirado do site da WWF, eu já aderi também e é muito simples, é só entrar no site que tem um link para a assinatura bem fácil. O link do site está aqui mesmo, é só clicar!

É tão pouca a nossa contribuição, mas se cada um fizer um pouquinho, quem sabe a gente consegue fazer a diferença.


Bob Burnquist dá seu recado contra o aquecimento global:

Posted on 27 September 2009

© Bruno Thomaz/WWF-Brasil

Entre uma manobra e outra, o skatista Bob Burnquist assina a campanha TicTacTicTac.

Dê uma megaforça para salvar o planeta. É o recado do WWF-Brasil na Oi Megarampa 2009.

Antes de conquistar o bicampeonato da Oi Megarampa, no domingo, 27 de setembro, em São Paulo (SP), o skatista carioca Bob Burnquist assinou o manifesto da campanha TicTacTicTac. O movimento une pessoas ao redor do planeta para persuadir os líderes mundiais a assinarem um novo acordo global de clima justo e eficiente na 15ª Conferência das Partes (COP-15) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças do Clima, que será realizada em dezembro, em Copenhague (Dinamarca).

“TicTacTicTac. O tempo está passando, temos que agir agora. Todo mundo fazendo um pouco já faz acontecer. Mas agora, todo mundo precisa fazer muito, o tempo todo”, alertou Burnquist, um dos principais nomes do skate mundial, para os mais de 10 mil participantes do evento.

Durante a assinatura, uma faixa de 10 metros de comprimento com a mensagem “Dê uma megaforça para salvar o planeta!” foi estendida em uma das extremidades da megarampa. O público presente também pode participar da campanha assinando o manifesto na tenda do WWF-Brasil, no Skate Village.

“É um movimento global, no qual a participação de todos é muito importante. Precisamos pressionar para que os líderes mundiais assinem um novo acordo global de clima capaz de manter o aumento da temperatura do planeta abaixo dos 2ºC”, explicou o superintendente de Conservação de Programas Temáticos do WWF-Brasil, Carlos Alberto de Mattos Scaramuzza.

Coordenado pela Campanha Global de Ações pelas Mudanças Climáticas (GCCA, na sigla em inglês), o movimento TicTacTicTac é uma coalizão inédita entre diversas organizações da sociedade civil, como WWF-Brasil, Greenpeace, Oxfam e Vitae Civilis, além de lideranças sindicais, empresariais e religiosas.

Você também pode fazer parte do maior movimento mundial para pedir decisões concretas no combate ao aquecimento global e amenizar os efeitos das mudanças climáticas. Assine agora mesmo o manifesto da campanha TicTacTicTac. Sua assinatura é muito importante.

 


Escrito por marizete assis às 10h05
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

05/08/2009

 
 

SESSÃO ECOLOGIA

UMA SOLUÇÃO "PLÁSTICA"


Estamos atualmente tentando nos adaptar ao uso das sacolas retornáveis , mas isso ainda é um meio não muito apropriado porque nem sempre as temos por perto, por exemplo quando voltamos do trabalho e descemos do ônibus direto no supermercado. Nesta semana assisti a uma reportagem no programa Reporter Eco que , na verdade, não é uma novidadde, mas pode ser uma ótima solução para esse problema em várias situações, já que não se trata apenas das sacolinhas, mas também de embalagens como as de comida pronta que hoje em dia são entregues nas forminhas de isopor.

Projeto de Plástico feito a partir de resíduos da Indústria de Alimentos

A empresa Biomater, desenvolve o projeto de transformar a fécula de mandioca e o amido de milho em bioplástico.O material é depois transformado em sacolas de supermercados e em embalagens, cestos e outros produtos.A empresa de São Carlos é incubada pela fundação Parqtec, apoiada pelo Sebrae, e os materiais são produzidos com apoio da UFSCAR- Universidade Federal de São Carlos, onde o engenheiro de materiais João Carlos Godoy - criador da empresa - fez o seu mestrado em Engenharia de Produtos. A ideia surgiu , em 2003 ,quando o engenheiro Godoy vendeu uma empresa que tinha, e voltou a estudar, aprofundando seus estudos na área de bioplásticos na UFSCAR.Assim, deu origem a este procedimento no campus da universidade e a uma outra empresa em 2005. Em 2008, vendeu seus primeiros produtos.
A matéria prima utilizada por João Carlos muitas vezes parte de sobras de grandes empresas alimentícias. Ele compra esses resíduos para transformá-los em produtos diferenciados. O bioplástico ,quando descartado, se decompõe no ambiente em no máximo 180 dias. A maioria dos plásticos produzidos no mundo são sintéticos, compostos derivados de petróleo e demoram de 200-400 anos ou mais para se degradarem. No Brasil a produção é de 4,2 milhões de toneladas por ano. Segundo Godoy , o bioplástico chega a custar 3 vezes mais do que o plástico que vem do petróleo. Porém, ele alerta para os benefícios que o plástico traz para a conservação ambiental. "Cada quilo de plástico produzido emite de 4 a 8 kg de carbono. O bioplástico evita essa liberação de metano", afirma.O plástico biodegradável ainda é um setor em crescimento no Brasil. Está em fase de formação a Associação Brasileira de Brasileira da Indústria de Polímeros Biodegradáveis Compostáveis (Abicom), que vai atuar pelo reconhecimento da cadeia produtiva do bioplástico.O engenheiro agora está em busca de investidores e parceiros agrícolas para construir fábricas do bioplástico em diversas regiões do País, com destaque para culturas locais, como a mandioca no Nordeste, a batata em Goiás ou a cana na região Sudeste. Godoy pretende também começar a exportar o produto.

Autor:
Editora-Chefe :Vera Diegoli. Reportagem:Márcia Bongiovanni. Pauta: Paula Piccin.Edição de Texto: Camila Doretto. Imagens:Adilson de Paula e Leonardo Siqueira.Auxiliar de Câmera: Vitor Rogério Pinto. Produtor:Maurício Lima. Supervisor Geral: Washington Novaes.



SUSTENTABILIDADE:

 


Escrito por marizete assis às 10h50
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

21/07/2009

 
 

SESSÃO ECOLOGIA

 

SUSTENTABILIDADE

 

  Mudanças Climáticas

o Paulo é pioneira na elaboração de uma política municipal de combate às mudanças climáticas. Através da articulação promovida pela Secretaria do Verde e  do  Meio Ambiente junto a outros órgãos municipais, profissionais especializados, sociedade civil e institutos como ICLEI e FGV, foi elaborado um Projeto de Lei que institui a Política Municipal de Mudança do Clima no Município de São Paulo. Esta lei estabelece como meta a redução de 30% das emissões nos próximos quatro anos, apontando estratégias nas diversas áreas de atuação da Prefeitura. Também propõe a redução progressiva do uso de combustíveis fósseis, adotando meta progressiva de redução de 10% ao ano, com o uso de combustível renovável não fóssil pelos ônibus do sistema de transporte público.

O documento estabelece como meta para 2012 a redução de 30% das emissões de gases de efeito estufa na cidade de São Paulo. A meta parece audaciosa, mas São Paulo, de 2005 até hoje, já conseguiu reduzir em 20% suas emissões com o funcionamento das usinas de biogás nos aterros São João e Bandeirantes, o que demonstra que ela não é impossível de ser alcançada. Isto é uma performance inédita. A Inglaterra, a Alemanha, países que trabalham sério nesta questão, prometem este desempenho para 2015 ou 2020.

Para chegar à meta de redução de 30% das emissões nos próximos quatro anos, a proposta da Política de Mudanças do Clima aponta estratégias que incluem, na área de transportes, a priorização dos coletivos, estímulo ao uso de meios de transporte com menor potencial poluidor, priorização do uso dos trólebus, metrô, trem e outros meios de transporte utilizadores de energia renovável, o monitoramento e armazenamento de cargas privilegiando o horário noturno, a implantação de corredores de ônibus, programas e incentivos para carona solidária e transporte compartilhado e a continuidade do Programa de Inspeção Ambiental Veicular. Outro ponto fundamental é que programas, contratos e autorizações municipais de transportes públicos devem considerar redução progressiva do uso de combustíveis fósseis,  adotando meta progressiva de redução de pelo menos 10% a cada ano, já a partir de 2008 e a utilização, em 2017, de combustível renovável não-fóssil por todos os ônibus do sistema de transporte público do município.

http://ww2.prefeitura.sp.gov.br//arquivos/secretarias/meio_ambiente/Sintesedoinventario.pdf




 

O Espiritismo também é preocupado com as questões ambientais /ecológicas. Encontrei este vídeo simples mas muito prático feito pela TV Mundo Maior:

 Programa "Eco Espiritualidade" apresentado por Gabriela Alem, exibido pela Tv mundo maior. www.tvmundomaior.com.br

 


Escrito por marizete assis às 13h32
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]